O ponto alto de Caruaru

Morro Bom Jesus - Foto de Roberto Silva/PMCDo alto do Morro Bom Jesus, avista-se toda a cidade de Caruaru, a segunda maior do estado de Pernambuco. Era um ponto turístico, até alguns anos atrás. A violência, porém, inibiu a população e os turistas de subirem o morro. Quem subia era assaltado.

Entristecido com a situação, o bispo católico Dom Antônio Soares Costa (1930-2003) iniciou, há mais de seis anos, um projeto para revitalizar o morro. Reuniu instituições públicas e privadas e promoveu mais de 30 reuniões. Apesar do esforço, o projeto não avançava. Faltava um plano de ação.

O caminho para a solução foi traçado pelo Major PM Alexandre de Souza. Uma consulta à comunidade esclareceu as principais necessidades profissionais, culturais e educacionais dos moradores e também evidenciou pontos fortes, como o talento dos jovens para hip hop, grafitagem e trabalho como DJ. Com o apoio da Igreja Católica - dona de terras e construções na área -, de vários segmentos da sociedade e de órgãos públicos, um espaço foi reformado e, no fim de 2005, o Centro Cultural Morro Bom Jesus foi inaugurado. Nele, os jovens encontraram o espaço que precisavam para se reunirem e desenvolverem suas atividades.

O passo seguinte foi a criação de uma Associação para facilitar a captação de recursos para a implementação de novas ações. Uma parceria com o Senac e a Associação Comercial e Industrial de Caruaru possibilitou a capacitação de moradores em confecção de bolos e tortas, artesanato e bijuterias. O Pólo Comercial da cidade doou barracas e, em breve, com a divulgação da imprensa, uma feira típica vai gerar renda para a comunidade.

Outro projeto em andamento no morro é a preparação de guias mirins, que já têm até suas fardas, também doadas pelo Pólo Comercial. Eles serão treinados pela Fundação de Cultura de Caruaru.

Jovens artistas de Caruaru com a antropóloga Haydée Caruso e o Major Alexandre SouzaDesde novembro de 2005, o local já conta com policiamento, porém apenas entre 14h e 18h, por falta de efetivo policial para os demais períodos. Segundo Major Souza, houve uma queda de mais de 90% nos assaltos durante a tarde, horário preferido pelos turistas. “O mais importante dessa história é a integração entre Policia, Diocese e sociedade trabalhando para melhorar a qualidade de vida da população”, afirma o policial.

Mobilização em Caruaru começou com campanha do desarmamento

Graffiti!A integração da polícia com a comunidade não é novidade em Caruaru, cidade que completará 150 anos em 18 de maio de 2007. Em 2002, o Major Souza idealizou a campanha “Desarme-se e renda-se à paz”, que coordena até hoje. A campanha resultou em mais de 200 parcerias, contando com a participação de igrejas católicas, evangélicas e espíritas. Entre os anos de 2002 e 2004, foram realizadas três caminhadas pela paz e o desarmamento, que contaram com o apoio de instituições da sociedade civil, como Rotary, Lions, maçonaria, Ordem dos Advogados do Brasil, escolas, faculdades, clube de logistas e bancos, e com a divulgação da imprensa local – rádio, jornais e TV.

Os anúncios veiculados convocavam a população a trocar dois quilos de alimento não perecível, equivalentes a R$ 3, por camisa e boné nos supermercados da cidade. As mais de 40 toneladas de alimentos arrecadadas foram divididas entre as igrejas e entregues à população carente. “Essa campanha criou uma relação ganha-ganha, já que as camisas e bonés traziam os logos das instituições patrocinadoras”, conta o Major Souza.

Música pela Paz

Outra iniciativa realizada com sucesso em Caruaru é, segundo o policial, inédita no mundo. O festival Música pela Paz, realizado em 2005, teve como critério para a inscrição de músicas a exigência de que a letra falasse sobre desarmamento e paz. Cada inscrição custava uma cesta básica, e era patrocinada por alguma entidade. Setenta organizações inscreveram músicas, sendo que 40 foram classificadas para as quatro eliminatórias. A Rede Globo espalhou urnas em Caruaru para a população votar nas suas músicas favoritas.

Em cada eliminatória, três músicas foram escolhidas. As 12 vencedoras foram gravadas num CD, cuja renda com a venda foi destinada ao Disque-Denúncia local, para ajudar no combate à criminalidade. Os shows, amplamente divulgados pela mídia, tinham como ingresso a doação de um quilo de alimento, o que resultou na arrecadação total de quatro toneladas de comida. Setenta cestas básicas foram distribuídas à comunidade Rua da Lapa pelo Lions, a PM e a Associação de Rádio e Difusão de Pernambuco.

“O mais bonito dessa articulação foi o envolvimento de todo tipo de gente. Teve rock, pagode, sertanejo, gospel. O que foi feito em Caruaru pode ser feito em qualquer lugar do país”, lembra o Major Souza. Para baixar as músicas do CD, clique aqui.

Leia mais:

Da intolerância à busca conjunta pela paz

Caravana Comunidade Segura converge pluralidades em Salvador

Violência, problema de saúde, é combatido com vacinação em Salvador

Caravana Comunidade Segura percorre o país

Comunidade em Natal é exemplo de integração das igrejas contra a violência

Dança, teatro e xadrez contra a violência em Ribeirão das Neves

Veja também:

Baixe em PDF:

Propostas do seminário "A Polícia que Queremos", realizado em julho no Rio de Janeiro pela PM fluminense

Cartilha sobre segurança pública e desenvolvimento institucional da polícia, produzida pela Caravana Comunidade Segura

Comentários

EXCELENTE INICIATIVA

Ã? uma pena que todos os lugares bonitos que existem são afetados pela violência e crime no Brasil e em todo o mundo. O alto do Morro Bom Jesus possuía uma vista maravilhosa de toda a cidade de Caruaru, a segunda maior do estado de Pernambuco. Era um ponto turístico fantástico. Que bom que houve essa iniciativa de combater à essa violência, parabéns!

Que vergonha!

Só é assalto aí!
DEUS QUE ME LIVRE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

a verdade

Na verdade tudo nao passou de um sonho do major,
nao ha guias turistico mirim. Oficina de grafitagem so foi no começo.
Mesmo assim foi para algumas crianças escolhida por aqueles que ficaram responsaveis pelos projetos.

Atualização do Catálogo

Olá,

Sou bolsista do observatório dos movimentos sociais e a pedido da doutora Allene Lage professora da Centro
Acadêmico do Agreste-PE.Foi solicitado a atulização do catalógo, pois está atrasado desde 2006 , peço que mande um e-mail
Atualizando:
Endereço e os principais responsáveis Centro Cultural do Morro Bom Jesus.
Aguardo respostas
Graduanda: Lindayane Leire

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é mantido privado e não será publicado.
CAPTCHA
Isso serve para verificar se você é um visitante de verdade e não um robô, evitando, assim, o envio automático de spam.
Image CAPTCHA
Copy the characters (respecting upper/lower case) from the image.