Unificação das polícias emperra em Brasília

Por considerar “polêmica demais”, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) retirou da pauta de votação da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, nesta quarta-feira (28), a Proposta de Emenda à Constituição de sua autoria que passa da União para os estados a competência para legislar sobre segurança pública. A emenda permite aos estados adotar o modelo de polícia que julgar mais adequado à sua realidade, podendo decidir pela unificação das polícias Civil e Militar. É a segunda vez que o senador pede a suspensão da votação de sua própria emenda.

Mas, apesar da pressão de representantes de classes de oficiais militares e delegados, Jereissati disse que não desistiu da PEC 21/05 e que continua defendendo a unificação das polícias. Para ele, a existência de polícias “paralelas, antagônicas e até rivais” leva ao desperdício dos recursos já escassos.

Além de permitir que os estados legislem sobre normas gerais de organização das suas corporações (polícias e corpo de bombeiros), a PEC incorpora à Polícia Federal as funções das polícias Rodoviária e Ferroviária e permite às guardas municipais realizar, mediante convênio com as polícias estaduais, ações complementares de policiamento ostensivo e preventivo, assim como de defesa civil. A proposta também extingue a Justiça Militar e o Ministério Público Militar, transferindo suas competências para a Justiça comum, e cria um fundo de segurança pública com recursos de 5% da receita dos impostos federais e 9% dos impostos estaduais e municipais.

Delegado de polícia licenciado, o relator da matéria, senador Romeu Tuma (PFL-SP), elaborou parecer contrário à emenda. Ele disse temer que, sem controle federal, as corporações aumentem seu material bélico e fortaleçam-se excessivamente.

Em Brasília, oficiais ligados à Associação dos Oficiais Militares Estaduais do Brasil (AmeBrasil), à Federação Nacional de Entidades de Oficiais Militares Estaduais (Feneme) e ao Conselho Nacional dos Comandantes Gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares (CNCG) manifestaram-se contra a desconstitucionalização das polícias e a favor da posição do relator da matéria, Romeu Tuma. Os oficiais comprometeram-se a dar sugestões para melhorar a PEC.

Em mensagem enviada aos senadores da CCJ, o presidente da AmeBrasil, Sigfrido Maus, afirma que a emenda acarretaria perda de status das organizações.

“A proposta, se aprovada e inserida na Constituição, poderá produzir significativas mudanças na atual estrutura das instituições policiais e militares estaduais, com reflexos diretos na sua atuação. É bom salientar que são instituições centenárias na história brasileira e que vem se moldando às necessidades cada vez mais exigentes de melhoria de qualidade. Ademais, são meras partes de um sistema de persecução penal, o que, de imediato, coloca em dúvida se uma radical mudança nelas não irá trazer reflexos em todo o sistema, que envolve, inclusive o poder judiciário e o ministério público na área criminal”, diz na carta. O militar enfatiza ainda o argumento de Tuma de que “nada garante que essa medida vá contribuir para a diminuição da criminalidade, podendo, ao revés, gerar conflitos de atribuições internos no órgão agrupador dessas atividades”.

“Baixo clero” quer mudanças profundas, diz tenente

De acordo com o presidente da Associação dos Militares Auxiliares e Especialistas (Amae), Tenente Melquisedec Nascimento, o “baixo clero” das polícias militares de todo o Brasil é a favor da emenda. “Calculo que mais de 90% dos soldados, cabos, sargentos, subtenentes, tenentes e capitães PM do país sejam favoráveis a mudanças profundas no modelo de polícia. Pergunte a PMs nas ruas para conferir”, desafiou Melquisedec.

Em manifesto enviado por e-mail em nome da associação de PMs, Melquisedec afirma que a PEC 21/05 garante espaço para que a sociedade discuta, nas respectivas Assembléias Legislativas, qual o modelo de polícia que melhor convém a cada estado. Ele defende o modelo unificado: "Para atender satisfatoriamente às necessidades da população, é imprescindível que haja nos estados uma única polícia, capaz de efetuar o policiamento ostensivo e investigar, com todo o serviço de inteligência submisso a apenas uma autoridade e obedecendo a somente uma doutrina de formação".

Soares defende Guarda Municipal integrada com estado

Para o antropólogo Luiz Eduardo Soares, secretário de Valorização da Vida de Nova Iguaçu e formulador do Plano Nacional de Segurança Pública, os estados são diferentes, assim como seus problemas, suas polícias e suas realidades políticas. “Segurança não se faz só com polícia. Faz-se com políticas preventivas especificamente desenhadas para esse fim, concebidas com base em diagnósticos precisos, sensíveis às particularidades locais e aptas a interceptar as dinâmicas imediatamente geradoras da violência”, afirma, em artigo publicado em seu site pessoal.

Soares destaca o papel das Guardas Municipais nos novos modelos possíveis com a desconstitucionalização das polícias. “O artigo 144 diz que segurança pública é dever do Estado e responsabilidade de todos. Mesmo sem poder de polícia, a Guarda Municipal não está impedida de cumprir um relevante papel na provisão de segurança. E o fará tão melhor quão mais integrada estiver com o núcleo de coordenação das políticas preventivas e com as polícias estaduais”, defende, seguindo a linha do que disse em chat realizado no Comunidade Segura, à época das eleições: “Viva a diferença e a criatividade, o experimentalismo e a liberdade.”

(Com informações da Agência Senado)

Saiba mais:

Congresso Nacional quer mais segurança

Em outros sites:

Projeto que permite unificação de polícias é retirado de pauta

Carta do presidente da AmeBrasil aos senadores

Luiz Eduardo Soares defende a desconstitucionalização das polícias

Transcrição de chat com Luiz Eduardo Soares no Comunidade Segura 

Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ)

Tramitação da PEC 21/05 no Senado  

Associação dos Militares Auxiliares e Especialistas (Amae)

Associação dos Oficiais Militares Estaduais do Brasil (AmeBrasil) 

Comentários

O triste foi ver as noticias

O triste foi ver as noticias sobre as pressões e até ameaças aos parlamentares. Consegui ler sobre isso em apenas um jornal. O resto da imprensa e os próprios senadores parecem achar normal que oficiais e delegados ameacem parlamentares dentro do congresso. Acho que continuaremos sem mudanças na estrutura da polícia brasileira por muito tempo. Enquanto isso a cada caso de corrupção, violência ou "simples" incompetência veremos na TV algum comandante falar sobre maçãs podres ou como a policia é reflexo da sociedade. Até quando vamos prosseguir sem uma reforma séria nos aparatos de segurança pública?

M, fiquei curiosa, qual foi

M, muito bom seu comentário, fiquei curiosa, qual foi o "unico jornal" que deu essa informação? L.

Folha de São Paulo

Olá L. Ai vai a notícia. "Está havendo pressão das polícias, alguns estão chegando ao limite da intimidação pessoal e muitos senadores se impressionam com isso", afirmou Demóstenes Torres (PFL-GO) FLSP 29.03.07 - Caderno Cotidiano link para assinantes: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff2203200703.htm

Unificação ;

Para unificar uma tem que extinguir outra; uma tem que ser o que a outra já era; mudança radical de comportamento, ou seja, o que valia antes em materia de postura para PM, será; que porderá valer para os Policiais Civis; não, claro que não; daí será o caos, o policial civil poderá se adequar aos rigores do militarismo, como, por exemplo se faltar ou abandonar o serviço ser punido com detimento; com cerceamento de seus benefícios e até financeiro; isso a polícia civil não quer; essa é uma a questão entre outras, por isso, é que a Polícia Militar quer ser policia civil, justamente pela desordem, pelo comodismo, pela falta de disciplina, pela falta de ordem e organização; o PM quer se um policial civil, para não ser preso por outro policial civil, civil prende civil, PM prende PM, SÃ? A CORREGEDORIA quando o faz; portanto, o que um quer ou outro também quer; um quer facilidades de conviver na função como convive o policial civil; e, o PM quer fugir dos rigores do militarismo como é o regime militar, o que quero ver, é se o sistema militar continuar nas polícias na sua unificação, se eles vão ficar satisfeitos. Na polícia civil, só tem UM chefe, na PM tem mais de DEZ, quero ver se quem for para onde for na unificação será feliz, ou seja, ao invés de tornar a vida do PM como a vida do POLICIAL CIVIL, torne a vida do policial civil como o da PM, ai sim, teremos uma boa unificação, como ocorre nos Estados Unidos, bote uma farda no policial civil; como vemos na polícia americanas, onde, somente policiais qualificados andam a paisana. MELHOR: - O delegado na unficação será o Capitão, fardadinho, por que é chefe dos demais; como é nos Estados Unidos, sei que isso eles não vão querer nunca, morrem saem da polícia mas não querem; aí quero ver esta unificação sair do papel. vamos lá, eu aposto que nunca isso ocorrerá.

Este assunto é urgênte e

Este assunto é urgênte e de suma importância para sociedade, não podemos perder mais tempo, a cada minuto vidas inocêntes estão sendo assassinadas, filhos arrancados bruscamente dos seus pais, isso tudo por covardia e ganância dos governantes de nossa nação, eles esquecem que também, em alguma estrada ou mesmo dentro de suas casas poderão se tornar vítimas de tanta violência. Por isso é muito importante que cada Estado tenha autonomia para decidir sobre a segurança da população.

repercussão

Hoje o assunto repercute ainda,porém não da forma que deveria. Temos que espalhar esta reportagem para as universidades, ONGs e todos os nossas amigos, fazendo uma corrente de divulgação, para que os políticos saibam que a sociedade está atenta e exige mudanças. Fico muito feliz pelo tenente Melquisedec Nascimento ter uma percepção tão aberta da questão e não seja como esses coronéis e delegados que só estão defendendo seus próprios interesses e privilégios.

PRIVILÃ?GIOS

Concordo com o comentário de que o que esses coronéis e Delegados querem e manter seus privilégios.Temos que reformar as polícias,temos que ter coragem para enfrentar de vez essa urgente questão,portanto vamos aproveitar que há associações de policiais apoiando a idéia da unificação das polícias e agir já.

unificar é preciso

Concordo plenamente que devemos ter apenas uma polícia. Uma vez assisti a uma entrevista de um brazilianista, o qual chamou nosso atual sistema de segurança pública de "feudal" e achava impresionante como nós ainda conseguíamos geri-lo, porém nós brasileiros sabemos que o atual modelo de polícia está falido.

qual a eficácia?

Não tenho dúvidas que as policias brasileiras precisam passar por uma reformulação profunda pois são estruturas ineficazes, morosas e viciadas. Porém, esse é um assunto que pela complexidade e importância para os brasileiros, em hipótese alguma deveria ficar a cargo da avaliação dos nossos "isentos" parlamentares. Um tema dessa gravidade deveria ser objeto de ampla discussão envolvendo todos os setores da sociedade brasileira. Sugiro a realização de audiências públicas em todo o país envolvendo estudiosos do assunto, militantes do movimento social, políticos, operadores da áreas de segurança pública, e, é claro, O POVO.
Tenho comigo algumas dúvidas sobre o tema:

Uma polícia unificada não seria um perigo para a nossa frágil democarcia? Tomemos por exemplo a polícia de São Paulo, reunida em uma única corporação, sob o comando de um único homem ( o Sr. Saulo Abreu, por exemplo), quem controlaria uma estrutura gigantesca como essa? isso seria eficaz na contenção da criminalidade? O fato de existirem duas polícias não propicia que uma fiscalize a outra? Não seria melhor que em vez de duas multiplicássemos em 3, 4 ou 10 polícias especilaizadas com uma estrutura pequena para melhor controle? porque bombeiro tem que ser policial?
Em caso de desconstitucionalização das policias, como seria a polícia do Sr. Paulo Maluf em São Paulo, ACM na Bahia ou Collor em Alagoas? certamente voltadas para a defesa da população e asseguradoras dos direitos fundamentais do cidadão.
De positivo, em um primeiro momento, somente a extinção dos tribunais militares e do MP militar. Discussão já.

Unificação das policias

Creio que a unificação das policias no Brasil seria benéfica, porém só daria certo se começasse do zero, se criasse uma nova policia com apenas cinco graus hierarquicos com uma formação unica baseada na hierarquia e disciplina, mantendo semelhanças com a policia militar mas sem o rigor do militarismo. Exemplo de como seria: Na academia de policia estadual formariam os cadetes de policia todos fardados e aprendendo disciplinas mais humanisticas, como filosófia, antrópologia, sociólogia, direito civil e penal, métodos de investigação, policiamento ostensivo, direitos humanos, policia comunitária, até disciplinas de etiqueta e retórica, sairiam da academia como oficiais de policia e seriam designados comforme a necessidade tanto para o patrulhamento como para a investigação, trabalhando juntos em um mesmo departamento, com o tempo seriam promovidos a sargento, tenente, capitão e comissario ou chefe de policia, eliminando os quadros de praças e oficiais. Nessa nova policia não teria os mesmos vicios e nem os antagônismos e rivalidades das atuais. Uni-las de imediato não seria viavél pois policia militar e policia civil são historicamentes diferentes. Seria interessante deixar os atuais policiais civis e militares como estão, não se abriria mas concursos para essas policias, apenas para a nova policia com formação unica, diante disso conviveriamos por certo tempo com três policias: a militar, a civil, e a nova polica estadual, a medida que os policiais civis e militares fossem se aposentando, esse modelo arcaico de policia iria deixando de existir com o tempo, ficando somente a nova policia estadual.Isso com certeza levaria bastante tempo uns trinta anos, pórem a mudança se daria com mais segurança.

Uma nova policia

Com certeza a unificação das policias seria benéfica para o Brasil, porém unir os atuais modelos de policias a militar e a civil que historicamentes são diferentes seria inviavél devido a notória rivalidade entre ambas. O ideal seria começar do zero com uma policia totalmente reformulada, uma policia estadual com formação unica baseada na hierarquia e disciplina. Essa nova policia com apenas cinco graus hierárquicos com alguma semelhança da policia militar no que tange a disciplina porém sem os rigores do militarismo, teria sua formação em uma academia unica estadual, nessa academia os policias fardados denominados cadetes de policia, teriam aulas de policiamento ostensivo, práticas de investigações, disciplinas de direito adminstrativo, penal e civil, materias mas humanisticas como: sociólogia, antrópologia, filósofia, policiamento comunitário, retórica e até etiqueta. Sairiam da academia como oficiais de policia sendo designados conforme a necessidade para trabalharem como patrulheiros e investigadores em um mesmo departamento de policia. Com o tempo os oficiais de policia tanto os patrulheiros como os investigadores seriam promovidos a sargento, tenente, capitão e chefe de policia. Devido as grandes diferenças existentes entre policais civis e militares, seria inviavel uni-las de imedianto e poderia acarretar inumeros problemas, diante disso essas corporações continuariam a existir, só não tendo mas concursos para essas policias, sendo os concursos apenas para a nova policia unica, a medida que os policiais civis e militares fossem aposentando a policia militar e a policia civil iriam deixando de existir. Durante algum tempo se conviviria com três policias: a militar, a civil e a nova policia estadual, levaria bastante tempo uns trinta anos, mas certamente a mudança se daria sem riscos.

Unificação das Polícias

Os nossos legisladores teimam em bater em teclas erradas, de certa forma para tentar mostrar trabalho e ação a uma sociedade que tanto sofre com a violência, mas é bem claro que a solução para controle e diminuição da violência não tem relação nenhuma com a forma atual das Polícias, existe sim problemas em nossa legislação penal (sobrecarregada de benefícios para os marginais), ou seja a Polícia prende e a lei solta, como exemplo, no Estado de São Paulo com população carcerária de 140 mil (maior do Brasil), são presos por ano só pela PM, cerca de 90 mil, desses cerca 5 mil ficam realmente presos, certo de que esta proporção deveria ser diferente e é realmente a causa de tanta violência, pois os criminosos se sentem impunes perante seus atos, e esta situação poderia ser revertida de forma simples e sem grandes aleração em nossa legislação, sem fórmulas mágicas, por exemplo, que somente teria o benefício de progressão no regime quem fosse réu primário (hoje quem é condenado a 30 anos com apenas cinco está solto - 1/6 da pena), que esse benefício NÃO seja extendido a infratores da lei que possuam reincidência, outro benefício é o relacionado aos menores de 18 anos, não precisamos de forma alguma diminuir a maioridade penal e sim aumentar o tempo máximo de internação de um menor na FEBEM de 3 anos para seis anos, bem como não extinguir os processos quando o menor completa seus 18 anos e sim prosseguir o processo e púni-lo como se menor fosse (máximo seis anos, na proposta) mas que cumpra a pena em estabelicimentos prisionais e não na FEBEM, pois hoje quando o menor passa a ter 18 anos tem sua "ficha" limpa, constando sem antecedentes criminais, independente se cometeu (quando menor) homicídios, roubos, latrocíonios, etc, e os processos são extintos ficando impunes pelos seus atos quando menor, certo que com essas simples alterações teremos um exelente resultado, pois a idéia é simples e direta, cada responde pelos seus atos e cumpre na totalide a pena imposta, resolve ou não?????

desmilitarizaçaõ e unificaçaõ das policias em todo o

A policia somos nós naõ é admissivel que os senhores senadores, por uma simples questão dos lobbies dos oficiais das pms e delegados de policias, venha a retirado a importante pec que fala sobre a segurança pública do país, por um questaõ de vaidade e ganãncia dos policiais para não perder o seu poder de mando, prepotencia e arrogncia. os senhores politicos tem que criar uma consciencia que foram eleito pelo voto do povo e todos nós cidadaõs esperamos uma resposta de mudança da estrutura das policias, já. paa o bem maior e segurança dos nossos familiares.

POLICIA

Desmilitarizar e unificar as policias, já está na hora senhores politicos, de mudar a policia. a sociedade exigi. precisamos de uma só policia. apoiamos a pec. 021 e a pec.046 do entaõ ex-dep. Helio Bicudo. Como está, naõ da para empurra com a barriga. Esperamos que os senhores criem uma consciencia que os senhores foram eleito pelo voto do povo. movimento da desmilitarizaçaõ e unificaçaõ das policias em todo o país. end. Av. tiradentes, 90 edf. vila rica ap. 113 terreo caminho de areia salvador bahia cep. 40.440-130.

unificação das policiais

Ã? sabido que a estrutura policial existente no país já não atende as necessidades básicas de segurança pública, pretendida pela população. Diante dessa situção, surgiu diversos estudos a respeito de uma solução para a materia, como não era de se estranhar, todas esbarraram nas vaidades de membros de alto posto, dentro das corporações, em exame. Das policiais militares, os oficiais que mesmo com pouco conhecimento da materia, deixam claro sua insatisfação com a mudança apresentada, por entederem que parte das mordomias que detêm e, faz questão de manter, incorre no risco de acabar.Porém, nada faz para melhoria do atual quadro na esfera de segurança pública, todavia, o senso o crítico aponta para incapacidade intelectual. Os delegados de policial, têm pelo que indica capacidade intelectual surficiente para propor melhorias, todavia, não têm, faticamente capacidade moral para tanto. Diante o exposto, nos resta acreditar que politicos comprometidos com seus eleitores, resolvam de uma vez por toda esse conflito de vaidades, que em verdade quem saem perdendo é mais uma vez o POVO.

unificação das polícias

Esse projeto é de suma importancia pois a criminalidade aumentou e a polícia não acompanhou porque o atual modelo de segurança não é voltado para atender a sociedade e sim para atender a um grupo de pessoas que querem manter apenas seu status e não estão preocupados com a sociedade com isso é prciso que o Senado atenda aos anseios da sociedade e não a um grupo de coroneis e delegados mal acostumados. A PM por exemplo é estratificadda por demais com isso fica algumas pessoas só querendo mandar para satisfazer seu ego e a segurança onde fica? o Estado não aguenta o peso de duas polícias e dessa foma quem carrega as consequencias somos nós o POVO.

a unificação das policias

Sejamos inteligentes vamos voltar ao passado e ver que a policia militar foi criada em meados da decada de 70 simplismente para ser força auxiliar do exercito então não é instituição centenaria como muitos falam certo ,então sejamos sincero o policia militar tem formação militar na decada de 70 para combater o terrorismo e sendo uma força auxiliar do exercito poderia e tinha em seu amparato belico ate avioes essa epoca passou hoje li damos com criminosos que formam advogados , juizes , elegem deputados e eles sabem que é uma instituição que se preocupa em prestar continecia a seus superiores do que combater a criminalidade ai eu pergunto ao eleitor voce tem segurança 24 horas nã né voce tem motorista particular e varias regalias não né então tem coroneis que moram e condominio fechado e oficiais que trabalham 1 uma vez por semana e quando vem ao quartel ela não esta nen um pouco preucupado com a criminalidade e sim se passar perto de um subordinado e se ele prestou a continencia correta que demagogia que tem havar militar com ciadão vamos acabar com isso não queremos militares queremos policiais bem treinados que nos protejam e não seja vitimas de ataques de bandidos a PM é arcaiaca vamos mudar

esta demorando para unificar a pm

Concordo como seu comentário a PM já deveria sr fundida com a Policia civil em uma só policia há muito tempo o que acontece é que os coronéis nao querem perder a mordomia , para eles é bom . Militar para mim é só o exército pergunte a cabos e soldados e sargentos se eles querem continuar a serem militares.

UNIFICAÇÃO

A unificação das policias não resolverá os problemas da segurança pública. Apenas criará um monstro corporativo, que será extremamente maléfico a população. Agora, um sistema que integre os bancos de dados será perfeitamente aceitável. O que o governo tem que fazer é melhorar salários oferecer cursos de aperfeiçoamentos tanto para as PMs quanto para PCs, visando um melhor desenvolvimento dos trabalhos realizados por ambas, ou seja; ostensivo e investigativo.

 

Agora, o problema da violência aqui no País não se revolve com policia nenhuma, podem chamar as melhores do mundo, que não adianta. Porque os problemas são estruturais, ou seja, nas atividades do desenvolvimento humano; educação, saúde, alimentação, moradia, infra-estrutura, justiça, etc. Como exemplo, citarei a polícia britânica, que trabalha desarmada!! Será que essa mesma policia trabalharia aqui dessa forma? É claro que não, não trabalharia nem com um fuzil. Mas qual o segredo? Bom para começo de conversa, a sociedade britânica atingiu um dos mais altos níveis de desenvolvimento humano, diminuindo assim os crimes contra o patrimônio e a vida, entretanto não é só isso, possui leis que protegem os policiais em serviço, para se ter uma idéia; quem lesionar um policial será punido com prisão perpetua e quem assassinar com a pena de morte!! É incrível não é? Mas não é só isso, os policiais são bem renumerados, recebe uns dos melhores, se não o melhor salário pago pelo Estado. Não é raro deparamos no litoral do Nordeste com turistas que são policiais britânicos aposentados, usufruindo de seus generosos proventos. Enquanto, os nossos tem que fazer “bicos” para sobreviver com pensões miseráveis, que são verdadeiras “esmolas”.

 

Portanto, não será através de uma unificação que resolverá os problemas da segurança pública. Em vez de ser duas, será apenas uma a ser abandonada pelo Estado, e a receber salários indignos.

MILITARISMO X DEMOCRACIA.

É UM ABSURDO O BRASIL DEMOCRÁTICO, LIVRE E CONSTITUINTE TER UMA POLÍCIA MILITAR VOLTADA PARA PROTEGER O ESTADO E SUAS INSTITUÍÇÕES COLOCANDO EM ÚLTIMO LUGAR OS BENS DE UM POVO TRABALHADOR E ATÉ MESMO A VIDA. O CIDADÃO QUE SE PREOCUPA EM CUMPRIR COM OS SEUS DEVERES E EXIGIR OS SEUS DIREITOS, TEM COMO APOIO À MESMA POLÍCIA DA ÉPOCA DOS PORÕES DA DITADURA. CHEGA DE CORRUPÇÃO POLÍCIAL E CONIVÊNCIA COM O CRIME, QUE NOS COLOCA EM CARCERE DOMICILIAR. - AVANTE BRASIL. ASS: SGT PMERJ

UNIFICAÇÃO DAS POLÍCIAS

O problema consiste justamente o da concentração de poderes a uma só pessoa, como é o caso do militarismo. A Polícia como militar só serviu a seus propósitos na época da ditadura. Hoje em dia, ela faz parte somente da "Polícia de ciclo incompleto", onde ela quase que na maioria das vezes chega ao local do crime primeiro, e por total despreparo e por não fazer parte de sua alçada, não isola o local do crime satisfatoriamente, não toma depoimentos importantes de quem passava no local na hora do crime, desfaz o local, abandonado-o e conduzindo o preso até a Delegacia Policial, para que um Policial Civil, que não participou em nenhum momento da ação, possa dar andamento a investigação, começando praticamente do ZERO. Esta é a Polícia que nós temos hoje no Brasil, uma Militar que usa homens "à paisana" para prender e fazer investigações e uma civil, que como é o caso da PCERJ (Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro) que têm em seus quadros, a CORE (Coordenadoria de Recursos Especiais) que usa em todos os seus homens, fardamento com coturno e tudo. Inclusive até os veículos blindados (caveirões) são idênticos na PMERJ e na PCERJ. Isto é só para se ter uma idéia do que acontece aqui no Estado do Rio de Janeiro e para abrir as mentes de quem ainda reluta em unificar as Polícias.

UNIFICAÇÃO DAS POLÍCIAS

Sempre que esse tema ressurge os argumentos indicam que a PM é voltada para uma vida castrense, quando deveria estar preocupada em atender a sociedade. Na prática o militarismo resiste como modelo de Administração. No Rio de Janeiro as Unidades de Pronto Atendimento para a população são compostas por funcionários que são militares do Corpo de Bombeiros, porque militar médico não falta serviço e se faltar é preso, simples assim. Outro aspecto, ao se defender a unificação aponta-se que uma instituição civil atenderia melhor os interesses do cidadão. Porque a Polícia Civil tem índices de elucidação de crimes exuberantes? não, a atividade de investigação ocorre por espasmos. Quanto a aceitação pela sociedade, no RJ, os índices são semelhantes, contrariando o argumento de uma polícia civil trata melhor o público. Restam os argumento do baixo clero, que defendem a unificação. Seus argumentos tergiversam, mas o que querem mesmo é uma atividade policial "livre" dos "embaraços" que o Código Penal Militar traz.

policia x militarismo

Ás 6h ele grita, soldado, traga-me um café, hoje estou stressado procure o motorista, tenho vários problemas importantes a resolver. lá se vai o cmt na viatura pagar as contas, de água, de energia, de condomínio,e as mensalidades das faculdades dos meninos etc. voltando ao batalhão deixa uma ordem, não se esqueça de pegar os meninos na escola. Em seu gabinete, com ar condicionado descansa, pois o dia foi muito exaustivo para ele. Enquanto isso, o soldado que é ser superior ao tempo, conforme pregam os comandantes; está na rua, combatendo o crime, salvando vidas e muitas vezes em detrimento das suas; com armas velhas e enferrujadas. "Sim senhor, não senhor"; diz o soldado. o que passar disso é indisciplina é transgressão disciplinar. Na frente das câmeras os oficial superior diz: está tudo bem estamos intensificando as rondas, nesses lugares, e a sociedade pode ficar tranquila, pois o que depender de mim e da policia militar, nós o faremos. Acredito que não é desse modelo de policia que a sociedade almeja, é preciso deixar o militarismo de lado e se dedicar a sociedade e não aos coronéis.

policia unica já

nós queremos uma policia unica,com comando unico,que se respeitem,aqui no rio as policiais não falam a mesma linguagem,tem escalas diferenciadas,o regulamento interno é arcaico e só funciona para os praças,oficiais fazem o que querem,almoçam e jantam separados dos praças,alimentação diferente para praças e oficias,alojamentos diferentes sujos mal cheirosos,as cozinhas são imundas,100% dos praças querem o fim do militarismo e sim queremos uma polica unica que falem a mesma linguagem.

Unificação das Policias

É um assunto muito pertinente e creio tambem que 90% dos policiais são favoraveis com excessão dos oficiais superiores,que muito ganham sem muito fazer na realidade eles tem medo de perderem seus "cargos de confiança"já está sendo provado que as duas policias trabalhando juntas dão uma proteção muito maior a sociedade.Porem depois do resultado obtido pelo senasp onde mostra que a maioria querem esta mudança possa ser que o Ministro Tasso Genro mude a sua decisão onde este assunto foi retirado da pauta de votação,e dizer que o estado é que tem que decidir fica meio complicado pois tem Governos que não tem interesse,e sendo um assunto de âmbito nacional cabe ao Governo Federal decidir o que é melhor para o País,boa a pesquisa está aí para quem assim desejar ver não se óde fugir da realidade pois moramos em um País democrático.

contra a unificação

eu sou da policia militar do rio de janeiro e sou contra a unificação das policias,pelo fato da policia militar ter um ritmo diferente da civil,a civil é policia de escritorio,de mesa,a PMERJ é policia de enfrentamento,de rua,coisa que a civil nunca vai ser,Eu reparo que quando tem alguma operação da civil em alguma comunidade é sempre o PM que vai na frente,o PC gosta muito de dar entrevista. O que devia acontecer era a desmilitarização da policia militar,sendo uma policia ostensiva,fardada e combativa como a PM sempre foi, mas não MILITAR com essas covardias que acontece,pois em qualquer emprego do mundo, se você falta por qualquer razão, é motivo de você ficar preso? o problema da PMERJ é que ela ainda está em 1809, e os seus coronéis com mão de ferro(não são todos) na idade da pedra -viva o novo!!!!!!!

PEC 21/05

Eu queria saber como anda a tramitação da pec 21/05

Unificação das polícias

Não é a melhor coisa a se fazer unificar polícias , prmeiro que não é o que se precisa fazer de fato e segundo que é inviável de várias óticas para os militares, a integração funciona de forma coerente, o problema da violência não esta na policia e sim é um problema de educação que não se resolve a curto prazo, as polícias trabalham da melhor forma que podem para dar segurança as pessoas, e a culpa da viollência é do próprio governo corrupto que muitas vezes se alia a traficantes e grandes bandidos que comentem inúmeros crimes como contrabando, e existem até mesmo deputados que são bandidos!!!
Unificar não é o que a polícia precisa. Elas precisam de integração apoio do governo e trabalho, muito trabalho para lutar contra a educação errada que se prega aos mais pobres, que ser traficante e enfrentrar polícia é o máximo, O problema é eduacação, educação e a longo prazo !!!

unificação da polícias

A maioria geral da policia civil e militar é contra este projeto, se eles são contra é pq realmente não é o melhor se fosse o melhor seria algo unânime o que não acontece!!!!!!!!!!!Obrigado pelo espaço

desmilitarização já

Se os deputados e senadores tão sendo ameaçado pelos oficiais e delegados imaginam como estão sendo tratado seus subordinados dentro dos quarteis onde lá dentro os mesmo senti-se um deuses, um rei, ditador senhores parlamentares o Brasil precisa de mudança temos o pior sistema de segurança publico do mundo, para um pais que quer esta entre as melhores potença do mundo à policia militar é considerado orgão sem estrutura para segurança publica, pois o soldado aprende dentro do quartel muito pouco ele usar nas ruas grande parte do que ele aprende dentro dos quarteis só serve mesmo é para os coroneis e mais chega deste militarismo ridiculo, autoritario e preconceituoso o povo brasileiro que policiais bem treinado como a policia federal nas ruas a policia militar é um modelo de segurança barato, e, que sai muito caro para os cidadões brasileiro.

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é mantido privado e não será publicado.
CAPTCHA
Isso serve para verificar se você é um visitante de verdade e não um robô, evitando, assim, o envio automático de spam.
Image CAPTCHA
Copy the characters (respecting upper/lower case) from the image.